quinta-feira, 26 de abril de 2012

Xixi E Cocô no lugar certo.



Revista Cães e Cia, n. 329, outubro de 2006

Todos desejamos ter cães que só façam as necessidades no banheirinho deles. Neste artigo procuro ensinar a maneira mais rápida e eficiente de obter sucesso na formação desse hábito de higiene
Quando ensinar?

O filhote costuma fazer as necessidades assim que sente vontade. Nosso trabalho inicial é identificar quando isso acontece. Normalmente, o cão urina e defeca ao acordar ou ao ser acordado, antes de descansar e logo depois de comer. Entre em ação nesses momentos ou quando ele der sinais de querer se aliviar (começa a farejar, a se afastar e rodopiar ou a abrir levemente as patas). Leve-o ao banheirinho, no colo. Enquanto ele estiver nos seus braços evitará fazer necessidades, atitude semelhante à que adota quando está na caminha ou na toquinha dele (caixa de transporte ou casinha).

Ponha o filhote no banheiro e, para mantê-lo lá, fique por perto. Assim que ele tiver se aliviado, elogie-o e recompense-o com petisco. Quando o filhote tiver associado o prêmio com fazer as necessidades, começará até a forçar para fazer xixi e ganhar recompensa. Quanto mais necessidades ele fizer em local desejado, menor o risco de fazê-las em local impróprio. Nas primeiras vezes, não mostre o petisco antes de o filhote se aliviar, para não desconcentrá-lo.

Se, passados uns dois minutos, o filhote não tiver dado mostras de querer se aliviar, leve-o para onde estava ou para outro local que não seja o do banheirinho. Depois de algum tempo, ou quando o cão sinalizar, leve-o de volta para o lugar de fazer as necessidades.

Nunca prenda o filhote sozinho no cômodo do banheirinho. Se ele começar a temer o local, evitará visitá-lo.




Revista Cães e Cia, n. 328, setembro de 2006

Todo filhote precisa de treino para aprender a fazer as necessidades em lugar determinado. O procedimento não é complicado e também não costuma ser demorado. Mas é importante que seja feito corretamente. Falhas podem confundir o filhote e tornar o aprendizado mais complexo e demorado.
Neste artigo, enfocarei o local ideal para ser banheiro do cão e como distribuir os acessórios nele, parte fundamental da estratégia para criar bons hábitos de higiene. Nas próximas edições, abordarei o treino do cão para fazer as necessidades no lugar certo e explicarei como tornar mais atraente o banheirinho dele.
Não se desespere

É muito comum encontrar proprietários de cão que faz necessidades em locais inapropriados. Na ansiedade de resolver o problema, tentam procedimentos diferentes a cada erro do filhote. Já ouvi vários desses proprietários dizerem que nada funciona. Batem no cão, colocam-no de castigo, dão recompensa, fazem de tudo e nada dá certo! A atitude correta é não se desesperar e manter sempre a lógica do treino. Ou seja, ter a correta distribuição da cama, do comedouro e do banheiro. Se o filhote fizer xixi na própria caminha ou no prato de comida, por exemplo, será preciso procurar compreender a causa. Se for por inadequação de espaço, corrigiremos essa parte. Se for por insegurança, o cão acabará entendendo o que deve fazer. Basta dar tempo. A freqüência de acidentes ficará cada vez menor e você perceberá que está no caminho certo!
Longe da caminha, comida e água

Para obter sucesso no treinamento, é preciso ter em mente uma regra básica. À medida que crescem, os cães procuram fazer as necessidades cada vez mais longe de onde comem e dormem ou do local onde a matilha ou a família ficam reunidas. Respeitar esse instinto é fundamental para um adequado planejamento do banheiro. Os cães se afastam para fazer as necessidades desde a época em que mamam, mesmo que por alguns segundos. Por isso, alguns criadores forram com pedaços de carpete o lugar onde a fêmea dá de mamar e com jornal, os arredores. Isso ajuda os cãezinhos a relacionar o tapete com o lugar de dormir, o que começa a criar neles uma certa inibição de fazer xixi no tapete e promove uma associação de jornal com local para fazer as necessidades. Mesmo quando o cão vem de uma criação que só usa jornal na forração (alguns filhotes, por causa disso, quando chegam evitam se aliviar em jornal), consegue-se obter sucesso na formação de bons hábitos de higiene. Basta que o treino seja consistente com o instinto canino.

Posição da comida, água e caminha

Lembre-se que o cão quase sempre quer estar perto das pessoas e nunca isolado. Portanto, a tendência dele, quando confinado, será de se aproximar o máximo possível do local onde poderá acompanhar melhor a movimentação da casa. É lá que ele irá relaxar e ficar à espera da presença de alguém. Na área de serviço, por exemplo, seu provável lugar preferido será perto da porta de acesso à cozinha. Não poremos o banheirinho perto dali. Ao contrário, colocaremos por lá a comida e a caminha, que podem ficar próximas uma da outra. E o banheirinho irá para o canto oposto ou para outro ambiente ao qual o cão tenha livre acesso. É importante também evitar situações que possam levar o cão a pisar em seu próprio excremento, pois isso o desmotivará a usar o local. Quanto menor a área, mais imediata deverá ser a retirada das fezes e da urina.

Sempre nas periferias

Quando sugiro locais ideais para serem adotados como banheiro, penso na casa como um conjunto de ambientes de convívio e de relaxamento. Procuro nunca colocar o banheiro no centro de um desses ambientes, e sim na sua periferia. É o caso de uma suíte, por exemplo. Já a varanda pode ser a periferia da sala. E a área de serviço, a da cozinha.

No início, vários banheiros

Filhotes não conseguem segurar por muito tempo a necessidade de ir ao banheiro. Não gostam de se afastar muito das pessoas ou de seu grupo. Oferecer mais de uma opção de banheiro é uma ajuda para eles e facilita também a vida de quem os leva freqüentemente para se aliviar. Conforme o cãozinho cresce e aprende a segurar mais as necessidades, estimule-o a fazê-las só nos locais que pretende manter como banheiro. Procedimento semelhante pode ser adotado por quem quer acostumar o cão a só fazer as necessidades na rua. Mas antes de decidir por essa opção, leve em conta que há dias chuvosos e outros em que as pessoas chegam tarde em casa.
Se fizer no lugar errado

O treinamento inicial precisa ser focado em elogios e petiscos. Não em broncas. O filhote costuma interpretá-las de modo equivocado. Mesmo quando a bronca é dada corretamente no ato da ação indesejada, ele pode entender que o motivo foi ter feito necessidades em local visível ou perto de pessoas, por exemplo.

Se isso acontecer, ele não irá mais ao lugar certo e nós perderemos a chance de recompensá-lo pelos acertos. A conseqüência é o treino ficar muito mais difícil.Por isso, só comece a dar broncas quando não tiver dúvidas de que o cão entendeu o que espera dele. Ou seja, quando ele se aliviar freqüentemente no local correto e, ao terminar, correr na sua direção para receber petiscos e elogios.O objetivo das broncas é criar desconforto para o cão quando ele faz necessidades em local errado. O mesmo resultado pode ser obtido com um barulho alto, que cause um pequeno susto.

Pode-se também dar bronca quando o filhote se prepara, em local impróprio, para fazer necessidades. Se ele segurar o xixi, leve-o para o banheirinho e aguarde alguns minutos. Há uma boa chance de ele se aliviar lá.No próximo artigo darei dicas de como tornar o banheirinho ainda mais atraente para o cão.
Na falta de supervisão

A intenção é que o filhote faça as necessidades onde desejamos, mesmo sem ser supervisionado. Se ele ficar sem supervisão por diversas horas, deve ter acesso à água, aos brinquedos e à caminha, bem como ao lugar para se aliviar. Esse último deverá estar no lado oposto da comida, água e casinha ou em outro ambiente.

Forre o banheirinho com algo que absorva o xixi, como folhas de jornal ou um tapete higiênico. Em volta do banheiro não deve haver tapete nem carpete, acessórios que só podem estar em embaixo da caminha do filhote.

Para evitar que a caminha se torne banheiro, procure deixá-la o mais confortável possível. Amarre os brinquedos perto dela ou em cima, para serem roídos lá e não sobre o jornal. Prefira os brinquedos com furos e insira neles pedaços de petisco ou de ração. Quanto mais o filhote se entretiver na caminha ou na toca, menores as chances de ele adotar o jornal como caminha ou de desenvolver o hábito de picar o jornal ou o tapete higiênico.


Se o filhote ficar sem supervisão por um breve período, poderá ser deixado na toca dele (caixa de transporte ou casinha com porta). Por não gostar de se aliviar onde está abrigado, ele segurará as necessidades enquanto conseguir. Isso dará chance a você de, ao voltar, levá-lo ao local adequado e de elogiá-lo, caso ele faça a coisa certa. Atenção: não associe a toca com broncas. Ao contrário, mostre como é legal estar nela. Sempre que o cão entrar na toca, dê petiscos e atenção a ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário